S.O.S PORTUGAL !
O presente esta a ser divulgado à escala planetária, o que no mínimo, exige uma reacção imediata, por parte das entidades responsáveis, façam jus a seu Pelouro!
27 de Setembro de 2013

 

 - Exmº Senhor Presidente -Da Comissão Nacional de Eleições Juiz Conselheiro Fernando Costa Soares


Com os melhores cumprimentos, 

Vêm, Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva (BI.05547577), a  questionar acerca  da conduta da Presidente da Câmara Municipal da Comarca de Abrantes (Maria do Céu Albuquerque); 
Pelo que na qualidade de proprietário de um Estabelecimento de diversão - Sito na rua Quinta dos Bicos nº. 154, na vila e freguesia do Tramagal (Concelho de Abrantes). Acuso a dita autarca - nos termos e pelos seguintes fundamentos: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/3922.html
Mais sobre a postura medíocre criminosa: 
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/trinta-oliveiras-custaram-60-mil-euros

Mais podre
 em:  http://porabrantes.blogs.sapo.pt/1636306.html

VERGONHA :http://www.smmp.pt/?p=24806

VAI A MERDA: http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/654.html

Dessa feita, cabe em questionar: sobre a legitimidade da candidatura dessa Senhora, às eleições de 29 de Setembro de 2013: 
http://mariadoceualbuquerque2013.blogspot.pt/
Renovam-se os cumprimentos;
Pede Deferimento,
Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
Tel. 918935128

MENSAGEM ENVIADA !

----- Mensagem encaminhada de raulcaldeira@hotmail.com -----
   Data: Wed, 18 Sep 2013 22:09:34 +0100
     De: raulcaldeira@hotmail.com
Assunto: É LEGITIMA A CANDIDATURA DESSA SENHORA ??
   Para: CN eleições <cne@cne.pt>
publicado por CORRUPTOS às 23:37 link do post
12 de Junho de 2013

Assunto: Depoimento 
 
Notificação da PSP que me veio a ser dirigida pelo Comando Metropolitano de Lisboa:



Salvo o devido respeito, a V/pretensão não faz qualquer sentido, que mais não seja, protelar a uma situação indefinida, como de há muito se encontra por demais esclarecido em outros requerimentos,  que foram submetidos à consideração da Procuradora (Cândida Almeida): http://terremotonajustica.blogs.sapo.pt/3705.html

O que esta em falta é um despacho, uma resposta adequada-justa, conforme a lei e o brio profissional assim o exigem. Pelo que desse modo, não se vislumbra qualquer vantagem, que justifique a minha deslocação a mais 150 k de distancia, afim de prestar declarações, tudo isso, por falta de procedimento em conformidade por parte do Departamento de Investigação e Acção Penal (DCIAP) - que de há muito que deveria ter vindo a tomar uma posição séria, quanto aos procedimentos, duvidosos, ou melhor, marginais, por parte dos serviços do MP. junto do Tribunal judicial de Abrantes e outros.


Pois tantos são os meios de prova,  que atestam acerca da perseguição-terrorismo com que me debato, e que os serviços do MP. mesmo sabendo das denuncias-queixas que tenho vindo a submeter aos especiais cuidados por parte da Senhora Procuradora-Geral da República na qualidade de (Superior Hierárquico) , em particular através do site do (DCIAP). Ainda assim, nada nem ninguém os demoveu, os fez parar, ou não me tivessem vindo atacar ferozmente (terrorismo), a falso pretexto da pratica de 4 crimes por difamação com publicidade e calunia agravados: http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/1947.html
http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/
 
Convém realçar, que antes, havia sido lançado um outro ataque, contra o meu domicilio, consideração e honra, o que fizeram a pretexto de uma penhora cozinhada-fabricada nos bastidores, no sentido de me roubar e aterrorizar. Vieram assim, o Oficial de justiça João Dias Branco e dois elementos da guarda, os senhores Marques e o Matos. Ameaçar-me, de rebentar com a porta, que sobre essas praticas terroristas, a que os cidadãos estão sujeitos por parte daqueles que por missão tem o poder-dever de acautelar os seus legítimos interesses - os ditos senhores da moral e dos bons costumes, que sobre essa matéria, vamos então aferir, acerca da conduta do senhor Oficial de -Justiça João Dias Branco e dos dois elementos da Guarda Nacional Republicana:  
http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/4120.html

Salvo o devido respeito e melhor opinião, permita-se a grosso modo em dizer: O ESTADO A QUE ESTA MERDA CHEGOU. No lugar de um despacho de pronuncia por parte do DCIAP, devidamente fundamentado em matéria de facto e de direito - a conceder ou não a tão implorada protecção policial - ao invés, vieram as policias no primeiro ataque um Oficial de justiça e dois elementos da guarda e, no segundo o aparato de duas falsas  rusgas, levadas a cabo, por pelo menos, 9 elementos da PJ. ao meu domicilio e ao da minha família - quanto custaram aos bolsos dos cidadãos, esses procedimentos, moralmente censuráveis e criminalmente punidos por lei, com o objectivo, bem definido, de me submeterem ao silêncio-aterrorizar-me - em que até roubaram os computadores, utilizados nas minhas denuncias e, que até à presente data, ainda não os vieram a devolver - apesar de muita insistência da minha parte para que o venham a fazer. 

 

Protegem-se uns aos outros: Pelo que ao abrigo do disposto, no nº2 do Artº. 199 do CPP. requer-se a suspensão imediata do procurador Hélder Renato Moreira dos Santos Cordeiro,  do Tenente-Coronel da Guarda Nacional Republicana, Joaquim José Caetano Nunes, do Sargento ajudante Manuel de Matos Bexiga e do 2º. Sargento  Manuel Liberato Anjos Pita. Bem como, do magistrado (a) do MP. e da juíza, e demais entidades responsáveis, que conduziram à emissão e execução dos mandatos, para o que se utilizaram indevidamente da PJ.. Todos esses, devem de ser suspensos, das suas funções -  E DE IMEDIATO! . È no mínimo o exigido TENDO-SE EM CONSIDERAÇÃO A GRAVIDADE DOS FACTOS, e até para que os MESMOS possam vir a ser analisados com a tranquilidade necessária de que a justiça tanto carece.

 

 

Dai, que para que os magistrados não se encontrem sujeitos a pressões, a suspensão, o afastamento desses, torna-se imprescindível, para a boa administração da justiça. Que em abono da verdade, reconheça-se, que, só assim, se poderá acabar com o (TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS) - Essas pessoas não estão acima da lei, antes pelo contrario, merecem um maior reparo nas suas condutas, tendo-se em linha de conta, os estatutos de que dispõem - Todos os cidadãos são iguais perante a lei ( Artº. 13 da C.R.P.).

Contudo, solicita-se para que se possa vir a proceder à audição dos visados antes de se decidir acerca do pedido de protecção policial, sendo que antes de prestarem os seus testemunhos: lhes seja perguntado, se assumem os factos que lhes são imputados, e se estão disponíveis para aceitar de livre e espontânea vontade as consequências a tirar pelos actos praticados ou não - ou se estão convictos de que estão a ser vitimas de difamação com publicidade e calunia agravados, previstos e puníveis pelos artigos  180, n.º, 1, 182, 183.º, n.º 1, al.s a) e b) , e 184 todos do Código Penal - como assim vim a ser acusado por 4 crimes e alvo de 2 buscas para me roubar os computadores, denegrir a minha imagem e da minha família junto da população, no fundo aterrorizar-nos, para me fazer parar de denunciar as verdades que tanto incomodam esses e muita outra gente.

CONCLUSÃO: 

 Artigo 283.º
Acusação pelo Ministério Público

1 - Se durante o inquérito tiverem sido recolhidos indícios suficientes de se ter verificado crime e de quem foi o seu agente, o Ministério Público, no prazo de 10 dias, deduz acusação contra aquele. 

2 - Consideram-se suficientes os indícios sempre que deles resultar uma possibilidade razoável de ao arguido vir a ser aplicada, por força deles, em julgamento, uma pena ou uma medida de segurança.

Para que os visados, em particular o procurador Hélder Renato,  não pudessem vir a ser responsabilizados pelos seus actos, os serviços do MP. junto do Tribunal judicial de Abrantes e outros, foram sempre praticando sucessivos crimes de Denegação de justiça e prevaricação ppº. no artº. 369 do CP. - protelando assim a uma situação indefinida, para que os crimes fossem prescrevendo, mas há alguns que ainda não prescreveram, em particular um, que é pelo menos da responsabilidade do procurador Hélder Renato Moreira dos Santos Cordeiro e do inspector da PJ. João Custódio Dias , conforme os serviços do MP. de Abrantes e de Coimbra o sabem e muito bem, acerca disso mesmo. 

Desse modo, agradeço que os tribunais em questão, possam vir a enviar as gravação dos falsos julgamentos por crimes de difamação - para os órgãos da Comunicação-social - afim desses os puderem vir a tornar ao conhecimento publico, porque os cidadãos tem todo o direito de saber aquém andam a pagar salários com os dinheiros dos seus impostos, e os perigos que esses consumidores do seu suor, possam vir ainda a constituir, para lhe desgraçar as suas vidas e das suas famílias - são esses mesmos culpados pelas condições das crianças que chegam todos os dias aos hospitais com fome, na verdade responsáveis pelas consequências resultantes da  crise, que eles próprios ajudaram a criar.
 

Ao longo do presente, uma vez mais, se confirmam as razões invocadas, nos sucessivos pedidos para atribuição de protecção policial - afim de me proteger das próprias autoridades e consequentemente dos tribunais, que deveriam de acautelar os legítimos interesses dos cidadãos, mas ao invés, das suas obrigações, atacam-nos desenfreadamente, pelo que contra factos não há argumentos, mas somente a força da tirania, porque é isso mesmo é que se verifica. Mas tem de acabar de uma vez por todas!. 


Façam uso da consciência, tenham coragem e não a falta de carácter como se tem verificado até aqui. É imperioso repor a legalidade democrática de imediato - assaquem as responsabilidades aos culpados e assegurem a paz e tranquilidade a que penso, que eu e a minha família, temos por direito - enquanto pessoas de bem.


Termino o meu depoimento, penso que não restam margens para duvidas, quanto ao peso sobre a decisão a tomar, pelo que fico à espera  de despacho de pronuncia, devidamente fundamentado em matéria de facto e de direito, acerca da concessão ou não - de protecção policial.


Espero bem que a  minha indignação não possa vir a servir mais de pretexto, para a ocorrência de mais retaliações contra mim e a minha família, mas antes, possa surgir a paz e tranquilidade que tanto ansiamos.


Ao abrigo do disposto no Art. 52 da CRP. e demais legislação em vigor,

Pede Deferimento,


Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva

Qbs. Se eu viesse a prestar depoimento no dia 2 de Julho conforme consta da notificação, logo tinha de ir pedir dinheiro para o poder vir fazer, assim foi bem mais económico, rápido, a celeridade de que a justiça tanto carece, e bem mais ecológico, amigo do ambiente, e até porque se torna um processo transparente, bem diferente de muitos daqueles,  que se tratam nos postos da autoridade, e nos tribunais,  sendo tudo isso, de todo interesse para todos nós - por isso esta a ser seguido pelas pessoas, nas redes sociais, em particular no Facebook. - todos estão atentos ao funcionamento da justiça. Sendo esta a única forma de me proteger, o que faço ao abrigo do disposto nas al.s a) e b) do n.º 2 do Art.º 180 do CP. - tudo por me encontrar a ser denegado, o acesso ao Direito e aos Tribunais ( violação do Art.º 20 da CRP.)

 https://www.facebook.com/tramagalantcorruptos

 

publicado por CORRUPTOS às 00:53 link do post
03 de Junho de 2013

 -  AOS ESPECIAIS CUIDADOS DA SENHORA PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA -
 
Processo: 595/12.6 TAABT
Referência:2938592.

M/ Ref: http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/814.html
 
http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/1499.html
 
http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/1717.html
 
http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/
 
Na sequência de informação prestada pelo Senhor  inspector da PJ da Comissão de Acompanhamento do Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas da Polícia Judiciária - conforme resposta que abaixo se junta.

 
Importa assim, em dizer: de que não vou juntar aos autos ( os meios de prova) , ou seja, a documentação que a PJ. não quis apreender, que em abono da verdade se diga: para evitar incómodos por parte da justiça - aos queixosos e, a outros que não se vieram a manifestar porque decerto não se sentem lesados. De qualquer modo:

Cópias dessa MESMA documentação, encontra-se depositada nos processos, junto do Tribunal Judicial da Comarca de Abrantes - o que foi totalmente ignorado, pelo MP. e pela juíza - porque se assim não o fosse - no lugar de mandatos de busca - tinham sido imputadas responsabilidades aos queixosos e outros, pelos crimes por esses praticados, que culminaram, com tão graves consequências.

Conforme os meios de prova por-demais o atestam - não escapa aos olhos do mais comum dos mortais, mas a cegueira da justiça, não consegue, ou melhor, não quer ver, conforme se  confirma dos factos, também, tornados ao conhecimento publico à escala planetária - para que todo mundo saiba o que se passa em Portugal: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/716.html
 
Os magistrados (as) usurparam as suas funções - ao não proceder, conforme a lei e o brio profissional assim o exigem. Ao invés, resolveram olhar para os estatutos de que as partes intervenientes dispõem. Tráfico de influências - protegeram os culpados, muito em particular: o procurador Hélder Renato Moreira dos Santos Cordeiro, aproveitando, por arrasto, os demais, porque quando cair um, caem todos em cadeia - em função da culpa de cada um.
 
Salvo o devido respeito e melhor opinião: Os investigadores da PJ, foram coniventes com os procedimentos medíocres-criminosos por parte do MP e da juíza. Pois logo que lhes foram entregues tão conturbados mandatos - deveriam ter recusado a executa-los, e participar de imediato, aquém de direito - em particular à Procuradoria-Geral da República - tudo isso, em abono da justiça, no fundo o Estado de direito. 
 
Pelo exposto: venho a exigir a retirada imediata do Termo de Identidade e Residência ( imputem responsabilidades aos culpados, ninguém esta acima da lei), e uma vez mais, imploro ! Para que venha a ser proferido despacho de pronuncia, no que toca ao supra-solicitado, pedido de protecção policial e, que os computadores me venham a ser entregues de imediato - como é de apanágio de toda a justiça.
 
Proceda-se à analise dos factos com equidade e não desvalor dos mesmos!
 
Ao abrigo do disposto no Artº. 52 da CRP. e demais legislação em vigor - no que toca ao direito de resposta.
 
Pede Deferimento,
 
Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
 
Obs. Não tenho acesso ao direito e aos Tribunais por violação do disposto no Artº. 20 da CRP ( NEM NENHUM ADVOGADO PRETENDE DEFENDER-ME), essa é que é a verdade - por isso defendo os meus legítimos interesses da melhor forma que o sei fazer - pelo que ao abrigo do disposto nas alíneas a) b) do nº. 2 do Artº. 180  do CP - assim vou continuar -   APELANDO AO BOM FUNCIONAMENTO DA JUSTIÇA!
 
De acordo com o disposto no Artº. 98 do CPP - Requer-se a anexação do presente aos autos.
 



Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva

publicado por CORRUPTOS às 19:51 link do post
27 de Maio de 2013

 

 

 


 

Boa tarde!

V/Ref-  queixa no Dciap: Nº1805/12

 

 

Na sequência da informação prestada, via telefone 21 384 70 00:   envio então uma vez mais, a queixa, que se junta,  a exigir a entrega imediata dos 3 computadores que me vieram a ser apreendidos, ou melhor, roubados,  pela PJ. que foi incumbida para tal - através de mandatos, que mais do que errados são criminosos da lei e do direito, e por isso mesmo - foram tornados arguidos.

 
Sempre me coloquei ao total dispor para colaborar com a justiça, além de que o Tribunal de Abrantes, em particular os serviços do MP. dispõem de vasta documentação, que comprova com amplo conforto, acerca da veracidade dos factos ocorridos e por mim sobejamente denunciados, em várias queixas, que tenho vindo apresentar ao longo dos anos, junto dos serviços do MP. desse mesmo Tribunal e às autoridades.
 
Buscas em duas residências, por difamação e denuncia caluniosa, chegamos ao fim da picada!
 
Ainda por cima a vitima sou eu, e não os queixosos, conforme os meios de prova assim o atestam com amplo conforto, mas esses parece que estão acima da lei - protegem-se uns aos outros - tráfico de influências é crime.
 
Pois na verdade as buscas, nada mais visaram, do que aterrorizar-me a mim e à minha família, e apreender os computadores para me parar - de poder tornar os factos ao conhecimento publico.
 
A Policia Judiciaria não levou 5 pendrivers, três cartões de memória e vários discos rígidos, e entregaram as baterias e carregadores, uma espécie de gozo - coisas do Estado de Direito.
 
Eu e os meus familiares, temos o direito de viver em paz - prendam os verdadeiros criminosos, que se dizem ser as vitimas, mas tantos são os meios de prova que os incriminam, e que já foram analisados pela Procuradoria-Geral da República o que originou o Processo: 772/97 Livro E PGR - além de muitos outros que ainda existem, e que irão surgir no momento exacto o que vai deixar o país pasmado.
 
Fui então tornado arguido com termo de identidade e residência, porque denunciei os factos junto de juízes, Magistrados do MP. entidades governamentais  etc.

 

 
Pede Deferimento, 

Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
 
Obs. Não tenho acesso ao direito e aos Tribunais (NENHUM ADVOGADO PRETENDE DEFENDER-ME), essa é que a verdade - por isso saltei para a praça publica e assim vou continuar - QUERO JUSTIÇA!

 1ª EXIGENCIA EM :    http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/1499.html

 

publicado por CORRUPTOS às 19:00 link do post
sinto-me:
18 de Maio de 2013

      

- AOS ESPECIAIS CUIDADOS DA SENHORA PROCURADORA-GERAL DA REPUBLICA -




V/Ref-  queixa no Dciap: Nº1805/12


Na sequência dos factos denunciados em particular no ponto 7:
 http://injustissadosunidos.wix.com/s-o-s-portugal#!denuncia/c1c78

7 ---- AO INVÉS DA LEGALIDADE: Continuam os monstros agir impunemente -  usando de métodos cruéis-desumanos-repugnantes, inaceitáveis no mundo civilizado - conforme se faz alusão no badalado pedido de aceleração processual. Mas nada nem ninguém, lhes toca - todos fogem com o rabo à seringa - pelo que desse modo vim-me na necessidade de diligenciar junto da Senhora Ministra da justiça:  http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/4120.html
 
Uma vez mais venho a confirmar: de que sempre que saio em defesa dos meus legítimos interesses, logo surgem retaliações-represálias para me intimidar-submeter ao silêncio - pelo que nesse sentido, vim a ser notificado pelo 1º juízo do Tribunal Judicial da Comarca de Abrantes
Ameaçando-me de que uma leiloeira de Torres-novas, vêm buscar os bens penhorados que lhes transmiti: de não serem de minha pertença e nesse sentido forneci-lhe a identidade dos seus legítimos proprietários - comprovativo da leiloeira:


E se os bens fossem meus, também não lhes assiste o direito de me roubar: pelo que enquanto severamente lesado, vim apresentar queixa contra Manuel Liberato Anjos Pita e (outros), o que fiz junto do mesmo posto aonde esse Oficial da Guarda antes exercia funções de Comandante - tendo na queixa solicitado a paz e deixado bem claro - que não confio nos serviços do MP. junto do Tribunal de Abrantes. Dai que manifestei o meu total empenho para que a investigação se venha a processar, debaixo do olhar atento da Senhora Procuradora-Geral ( Artº. 278 do CPP.) - junta-se comprovativo de queixa.

Na sequência da queixa, vim a ser notificado por militares da GNR afim de prestar declarações na qualidade de testemunha - conforme consta da notificação que se junta:

  Decorridos 10 dias de ter vindo a apresentar queixa junto do Posto da Guarda Nacional Republicana do Tramagal, pelas habituais coincidências do sistema ou não, o certo é que no dia destinado a prestar declarações junto do posto da GNR de Abrantes - fui confrontado com (2) duas buscas-rusgas levadas a cabo pela Policia Judiciaria de Leiria - dirigidas  ao meu domicilio e ao de um meu sobrinho - a pedido do MP. junto da Juíza Leonor Augusta Gago da Câmara Moreira Machado do 2º.juizo-Tribunal Judicial de Abrantes. Que veio a proferir os seguntes mandatos de busca - conforme documentos:

A PJ. veio então agir de forma habilidosa no cumprimentos dos mandatos de buscas por 4 crimes de difamação e denuncia caluniosa - Acercaram-se indevidamente de 3 computadores que roubaram de uma forma astuciosa (operação encoberta) - Camuflada de legalidade, pois na verdade não pretendiam levar provas mas outrossim - conforme a gravação de imagens e voz o podem aferir com amplo conforto. 

A prova documental de originais foi vista pelos elementos da PJ. que não os levaram dizendo serem antigos conforme consta do registo da gravação-ainda assim tornaram-me arguido:
A operação destinou-se também a manchar uma vez mais a minha imagem e da minha família  visto que os elementos da PJ. permaneceram algumas horas não no domicilio do meu sobrinho para onde a busca se destinava, mas sim na residência da minha irmã, que tem a minha mãe aos seus cuidados e o meu filho que se encontra entregue aos serviços de psiquiatria.

Sobre essas habituais praticas moralmente censuráveis e criminalmente punidas por lei: foram informados os serviços do MP. junto do Tribunal de Abrantes, que alertei acerca do estado de saúde da minha mãe, a gravidez de risco da minha irmã e o facto do meu filho se encontrar em cuidados de psiquiatria para o que em muito contribui esse tipo de procedimentos marginais encapotados de legalidade, ao longo de muitos anos: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/4120.html
Os mandatos por difamação e denuncia caluniosa mais parecia por trafico de droga ou armas - crimes graves. Foi uma vergonha no sentido de afastar a minha família de mim e submeterem-me ao silêncio.

- Mais  pormenores da operação fantasma,  serão tornados ao conhecimento publico, no momento oportuno inclusive imagens e gravação de vozes!

CONCLUSÃO: Uma vez mais se afigura imprescindível a concessão de protecção policial por-demais solicitada, ou os envolvidos não sejam perigosos e cada vez mais se podem vir a tornar, à medida que os factos se vão desenrolando - pois as suas carreiras profissionais vão sair bastante afectadas o que acarreta decerto alto risco para mim e os meus familiares - de qualquer modo, no mínimo deve vir a ser proferido despacho de pronuncia devidamente fundamentado em matéria de facto e de direito, invocando os motivos ou razões, que possam vir a conceder ou não a tão implorada-exigida protecção policial.

Torna-se muito estranho a ligeireza dos procedimentos levados a efeito, se principalmente não se tentar em esquecer que os serviços do MP. de Abrantes tem pleno conhecimento das minhas denuncias junto do DCIAP e da Senhora Procuradora Geral da Republica:                                                                      http://injustissadosunidos.wix.com/s-o-s-portugal#!denuncia/c1c78

Os factos ocorridos são desumanos, inadmissíveis no mundo civilizado, sendo desde logo passiveis de procedimento Judicial contra os culpados em particular o MP. e a juíza que emitiu os mandatos de busca - o que legalmente nunca vinha acontecer.


Pelo exposto: tornam-se os MESMOS mandatos arguidos de acordo com o disposto na alínea d) do nº. 2 do Artº. 120, do CPP. -  exigindo-se também a entrega imediata dos computadores.


Por ultimo: sobre a operação encoberta a pretexto de crimes por difamação e denuncia caluniosa (perseguição-terrorismo), vim apresentar queixa junto da PSP de Abrantes - conforme se confirma através da declaração:

 

 



Pede Deferimento,

Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva 

OBS: Em meu nome e de todos os injustiçados unidos - no fundo o povo português - ficamos a aguardar pelo fim do clima de impunidade de há muito proclamado pela Senhora Ministra da Justiça ( Paula Teixeira da Cruz). 

O inicialmente intitulado terremoto na justiça - que agora e muito bem se determina de avanço civilizacional - coloca a Senhora Ministra de Parabéns, mas ainda não acredito que Oficiais de justiça, juízes e magistrados do MP. Venham algum dia a ser responsabilizados e presos pelos sucessivos crimes que praticam:
http://injustissadosunidos.wix.com/s-o-s-portugal

 

 

publicado por CORRUPTOS às 21:52 link do post
19 de Abril de 2013

 

A SENHORA MINISTRA: proclamou o fim do clima de impunidade - mas confrontada com a questão dos lindos discursos sem efeitos práticos ( o habitue bla-bla-bla ) - submeteu o assunto para o próximo,  invocando para tal, a separação de poderes -

 

Resposta ao e-mail de 22-03-2013 do Sr. Raúl Manuel Quina Caldeira Soares da Silva‏

Gab Apoio Ministro - MJ (apoio@mj.gov.pt)

De: Gab Apoio Ministro - MJ (apoio@mj.gov.pt) 
Enviada: sexta-feira, 5 de Abril de 2013 11:09:28
Para: raulcaldeira@hotmail.com (raulcaldeira@hotmail.com)

 

 

 

publicado por CORRUPTOS às 16:31 link do post
12 de Abril de 2013

                                               

 

                                                   - AOS ESPECIAIS CUIDADOS DA SENHORA MINISTRA DA JUSTIÇA - 
 
 
 
Assunto:  Dois pesos duas medidas - dualidade de critérios - viola o disposto no Artº. 13 da Constituição da Republica Portuguesa!  
 
Eu, Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva, residente na Rua quinta dos bicos nº 154, na vila e freguesia do Tramagal, venho na qualidade de queixoso-lesado, não pela justiça - JAMAIS IMPLORARIA ALGO EM DETRIMENTO DO QUE É JUSTO - mas sim: pelas injustiças que me recaem em cima e, que colocam seriamente em causa: Juízes,  magistrados do MP. , Oficiais da Guarda Nacional Republicana, Presidentes de Câmara e outros perfeitamente identificados.  Que denegriram a imagem das instituições que representam ou representavam, pelo que - IMPIEDOSAMENTE  - deveriam ter vindo a merecer o maior e melhor reparo nas suas condutas, por parte dos órgãos Superiores do Estado - mas tal condição, nunca se veio a verificar, o que em nada abona a favor da justiça.


Pelo que desse modo, não poderia deixar de denunciar e submeter os factos à Superior apreciação por parte de Vª. Exª - conforme vou passar argumentar - em defesa dos meus legítimos interesses, da minha família - NO FUNDO A SOCIEDADE EM GERAL! 
 
Antes demais, faço ainda questão de informar: que embora não seja desletrado, mas não possuo lá grandes habilitações literárias nem conhecimentos específicos na área do Direito, mas por Denegação do acesso ao Direito e aos Tribunais (Artº.20 da CRP), vim-me assim, obrigado assumir a minha própria defesa, o que faço da melhor forma que sei e posso, sem que a minha indignação ou os métodos pouco ortodoxos que tenho vindo a utilizar, para ver se consigo alcançar a justiça - possam servir para fomentar ou alimentar,  ódios ou vinganças pessoais, como as que me têm vindo atingir a mim e a minha família - faz já muitos anos a esta parte.
 
DUALIDADE DE CRITÉRIOS: Embora directamente nada tenha a ver com o processo da " COVA DA BEIRA ", por demais badalado através dos órgãos da comunicação-social - mas já tenho a ver, com a conduta medíocre-criminosa, do PROCURADOR HÉLDER RENATO MOREIRA DOS SANTOS CORDEIRO, conforme se vai passar a demonstrar:
 

 


02-03-2013 Correio da Manha: O caso começou com uma averiguação preventiva que demorou dois anos, durante os quais foi recolhida muito pouca informação. Depois entre 1999 e 2001 já como inquérito, os autos estiveram literalmente parados no Ministério Publico, sem uma única diligência realizada. Nesse período o magistrado titular do caso RECUSOU-SE a fazer BUSCAS à casa de JOSÉ SÓCRATES  visado inicialmente na investigação, por entender que os indícios não eram suficientes, para incomodar uma pessoa tão importante na sociedade portuguesa, conforme declarou à TVI - Remata a noticia dizendo e muito bem - que foi uma investigação indecorosa para o MP. e para a Policia judiciária.
 
O PROCURADOR HÉLDER RENATO MOREIRA DOS SANTOS CORDEIRO - tem dois critérios - um para gente notável, com dinheiro, outro para os pobres, o vulgo cidadão, o pata rapada, que se encontram amontoados nas cadeias - condenados pelo que fizeram e pelo que não fizeram o que importa é garantir os interesses obscuros - os tachos dos oportunistas - ladrões dos dinheiros públicos. 


 

Ainda assim, por bem parecer, veio a ser alvo de um processo disciplinar - mas acabou ilibado - são e salvo, pelo CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PUBLICO - ficou tudo em águas de bacalhau - a culpa morre sempre solteira e, o procurador Hélder Cordeiro, continua a desempenhar as suas funções, podendo usar livremente da dualidade de critérios, em função da condição económica ou notoriedade publica de cada um - violando assim o consagrado no Artº. 13 da CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA - num total desrespeito pelas obrigações a que se encontra sujeito e nada se passa - considerando as afirmações produzidas no jornal Correio da manhã de 12 de Outubro de 2011.

O PROCURADOR HÉLDER RENATO MOREIRA DOS SANTOS CORDEIRO: no dia 12 de Outubro, não do ano de 2011, mas de 1995, usou de outro critério, porque em causa não estava uma pessoa tão importante como o JOSÉ SOCRATES, mas sim um humilde cidadão, mas não qualquer um - Condição que a Procuradoria-Geral da Republica e o Conselho Superior dos Magistrados do Ministério Publica, bem conhecem, de há mais de uma década e meia, a esta parte, mas ainda assim, nunca vieram a tomar medidas sérias-adequadas (CONFORME A LEI E O BRIO PROFISSIONAL ASSIM O EXIGEM). 

 
E nem mesmo, após várias diligências efectuadas, pela Senhora Ministra da Justiça - PAULA TEIXEIRA DA CRUZ - junto desses mesmos órgãos Superiores do Ministério Publico - conforme o disposto: http://perseguicaoterrorismo.blogs.sapo.pt/2288.html
 
 
OS ILUSTRES: honrosos senhores da moral e dos  bons costumes, os meninos das boas maneiras - aqueles aquém os cidadãos, perante a corte - se sentem obrigados a tratar por MERITÍSSIMO:  
http://terremotonajustica.blogs.sapo.pt/745.html
 
 
ORA MERITÍSSIMO: vem de tudo aquilo que faz com que uma pessoa seja digna de elogio, de recompensa-merecimento. Pelo que os Deuses do Universo, com especial destaque: para o juiz que me condenou duas (2) vezes, pelos mesmos factos (ANTENA PARABÓLICA) -  e para o procurador Hélder Renato Moreira dos Santos Cordeiro - que me acusou no segundo processo: 82/96 - violaram o consagrado no n º. 5 do Artº. 29 da CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA - para  condenar um cidadão honrado e integro - mentes demoníacas, interesses e vinganças pessoais, em que o Colectivo de Juízes e consequentemente o Supremo Tribunal Justiça foram coniventes - tudo isso ao arrepio da legalidade democrática.
 
SUAS MAJESTADES: violaram Os Direitos Liberdades e Garantias constitucionalmente Consagrados, pelo que a postura assumida - no mínimo:  preenche os requisitos do nº3 do Artº. 369 do Código Penal Português - mas os falsos Deuses, encontram-se acima da lei, dai que nada nem ninguém lhes toca - tanto que ainda não vi nenhum dos que no teatro interpretam a personagem de juiz ou de magistrado do M.P. preso -  a pagar pelos seus procedimentos moralmente censuráveis e criminalmente punidos por lei, pelo que enquanto severamente lesado, cabe-me em questionar:
Mas a lei não prima e sobressai acima de todas e demais considerações?
 
BIPOLAR: Uma justiça para ricos outra para pobres, o fato é consoante o dinheiro ou cara do cliente: NÃO HÁ JUSTIÇA! Dentro do estado, cada um faz o que quer, a mais não é obrigado, nada se passa, nada lhes acontece - Contra factos não há argumentos - o clima de impunidade continua e os visados podem prosseguir viagem, sem olhar a meios, para atingir os fins -doa aquém doer o que lhe interessa é dinheiro e poder - Quiçá um dia  Hélder Renato Cordeiro - Ilustre Procurador-geral da República: 
http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/716.html
 
 

Pior do que dois pesos e duas (2) medidas: É que para os pobres, inventam-se crimes, forjam-se provas, faz-se uma maquinação das coisas: Mandaram-me para à fogueira e fugiram todos - VALEU DE TUDO, MAS DE TUDO MESMO - tal como no processo da “COVA DA BEIRA” ai valeu de tudo para atrasar as investigações ao ponto de impedir BUSCAS, por entender que os indícios não eram suficientes, para incomodar uma pessoa tão IMPORTANTE na sociedade portuguesa ( ao invés da lei,  que exige um maior reparo sobre a conduta dos IMPORTANTES ) - Considerando as noticias vindas a publico, no Correio da manhã, sobre o que foi dito pelo Ilustre Procurador Hélder Renato Moreira dos Santos Cordeiro à TVI. Mas ainda assim, foi ilibado pelo CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PUBLICO.
 
Dessa feita, sempre com o mesmo respeito, permita-se o termo: a ”BOMBA-SUJA"  deixada pelo Procurador Pinto Monteiro com a cumplicidade do Conselho Superior do Ministério Publico e da Procuradora - CÂNDIDA ALMEIDA - é uma herança pouco simpática (PESADA) - agora aos especiais cuidados da Senhora Procuradora-Geral da Republica e do Senhor Director do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, recentemente empossado. 
 
A procuradora - CÂNDIDA ALMEIDA - fugiu sem se pronunciar, tal como - PINTO MONTEIRO - que se dizia ter tantos poderes como a rainha de Inglaterra  e que disse que vai andar por ai, e que se deixe andar - sendo que também esse, já havia recebido o testemunho do seu antecessor: SOUTO MOURA, que também fugiu às suas responsabilidades. Mas ainda assim: foi logo acolhido de braços abertos - pelo Presidente do Supremo Tribunal de Justiça e por lá anda todo contente aos saltinhos, como pássaro no terreiro - parecendo aguardar a chegada da pombinha: 
http://injusticaemportugal.blogs.sapo.pt/975.html

 

 Confesso, que me encontro ansioso por justiça à muitos anos, como facilmente o mais comum dos mortais facilmente o compreendera: dai como não poderia deixar de ser, despertou-me alguma curiosidade, a coragem demonstrada pela Senhora Procuradora-Geral da Republica: JOANA MARQUES VIDAL -  quanto à posição tomada em relação à senhora -  NÃO HÁ CORRUPÇÃO EM PORTUGAL ! Bem como O SENTIDO DE OPERAR MUDANÇAS, nas regras do jogo, dentro do CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PUBLICO, mas salvo o devido respeito e melhor opinião: os ex-procuradores Souto Moura e Pinto Monteiro, também fizeram lindos discursos, tal como, outros ministros da justiça que se antecederam - mas todos esses ilustres, acabaram por FUGIR às suas responsabilidades - protegeram-se uns aos outros - TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS.

 
Assim, perante esse mar de irregularidades, ou melhor - praticas criminosas, envolvendo gente tão poderosa, que até ao presente, intocáveis sem pudor!  E pelo facto de nos encontramos em ano de eleições, em que da praxe: cabe anunciar mudanças, falar do que esta mal - APREGOAR AS BOAS NOVAS - mas finda a caçada, regressa tudo à normal-rotina, às origens - sempre a mesma vigarice, trapalhice, e assim andam à 40 anos a enganar o povo - dai que não posso deixar de colocar sérias reservas - como facilmente se compreenderá.
 
Até porque me causa alguma apreensão, quando num dia se levanta um processo disciplinar e dias depois, faz-se uma DESPEDIDA ELOGIOSA - e a forma como as coisas se desenvolveram - parece indicar um certo recuo, na posição inicialmente tomada - quanto à senhora que disse ao país e ao mundo que portugal não é um pais de corruptos que em portugal não há CORRUPÇÃO - que mais pareceu  - Madre Teresa de Calcutá - quando se pronunciou sobre a conduta de José Sócrates, tal como o fez o procurador HÉLDER RENATO MOREIRA DOS SANTOS CORDEIRO - em declarações à TVI.
 

 


É PRÓPRIO DO SISTEMA - quando alguém pensa em mudar o rumo das coisas ( as regras do jogo), logo vozes se levantam-erguem para que os jogos de interesses obscuros se continuem a manter em detrimento dos cidadãos: Assim, com um processo disciplinar em curso - considerando o que foi dito quarta-feira 20 Março de 2013 pelo jornal Correio da Manhã:  CÂNDIDA DE ALMEIDA -  tal como - SOUTO MOURA - também vai para o SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA.
 
COISAS DA CIÊNCIA JURÍDICA: saem corridos dum lado por incompetência de praticas com contornos duvidosos-criminosos, entram logo noutro quartel, só mudam as moscas porque a càca é sempre a mesma, tudo isso descaradamente aos olhos do povo - que se encontra FAMINTO -  em consequência das condições impostas por um governo que elegeram enganados - e nos submeteu à TROIKA -PREPOTENTE DITADOR INCOMPETENTE DE QUE JÁ-MAIS À MEMÓRIA!
 
Ainda assim, a esperança é a ultima a morrer: querendo acreditar, não de que o clima de impunidade acabou como o declarou publicamente a Senhora Ministra da justiça - PAULA TEIXEIRA DA CRUZ - mas porque o povo já não aguenta mais passar fome e ser obrigado a pagar a crise criada por quem os roubou e continua a roubar - descaradamente contra a sua própria vontade - POR ISSO MESMO - VÊM A EXIGIR NAS RUAS - O COMBATE À CORRUPÇÃO-DEMISSÃO DO GOVERNO!  
 
Como inicialmente se referiu, espero bem, que a minha indignação sendo um direito que me assiste, ao invés, não sirva para continuarem alimentar ódios ou vinganças, contra mim e a minha família -  mas sim: Para abrir as portas da justiça que me foram fechadas faz já muitos anos a esta parte - tudo isso, para que não possam vir a ser assacadas responsabilidades aos visados.
 
Se os culpados se sentem lesados pelos factos que venho a tornar ao conhecimento publico através das redes sociais em particular o Facebook, então que venham a proceder em conformidade e não à margem da lei - com procedimentos tão escabrosos-desumanos, que mais do que errados são criminosos da lei e do Direito - lobos vestidos com pele de cordeiro - vinganças - protegem-se uns aos outros - terrorismo de Estado:   http://corruptos.blogs.sapo.pt/ 
 
Os tempos são muito exigentes no desempenho de tão honrosas funções, então confiadas pelo mais alto magistrado da nação - Sua Excelência o Presidente da República - Aníbal Cavaco Silva, à Senhora Procuradora-Geral da República JOANA MARQUES VIDAL, que tomou posse no dia 12 de Outubro, não do ano de 2011 nem de 1995, mas sim de 2012.
 
Senhora ministra da justiça - Paula Teixeira da Cruz - a senhora proclamou o fim do clima de impunidade, mas salvo o devido respeito e melhor opinião, tais como outros ministros da justiça que a antecederam o proclamaram - não passou das palavras aos actos - assim perante essa refega: questiona-se acerca da credibilidade do governo e em particular da senhora Ministra.

 

O que é necessário fazer, para que os cidadãos possam ver as suas causas, analisadas por parte de operacionais da justiça: magistrados do MP. Juízes e Advogados, pessoas idóneas incapazes de contrariar a sua consciência ir contra o humanamente correto - que decidam em função da verdade material e não do dinheiro de cada um ou da sua notoriedade social - no profundo respeito pelos Direitos Liberdades e Garantias, Constitucionalmente consagrados - conforme a lei e o brio profissional assim o exigem - e que compete à Assembleia da República, cumprir e fazer cumprir aqueles que os violarem.
 
Ao abrigo do disposto no Artº. 52 da Constituição da Republica Portuguesa! Solicita-se para que seja tomada em consideração em matéria de tempo de resposta - a urgência de que o caso carece.
 
Pede Deferimento,
 

22-03-2013
Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva



---- Mensagem encaminhada de Raul Caldeira <raulcaldeira@hotmail.com> -----
Data: Fri, 22 Mar 2013 03:25:48 +0000
De: Raul Caldeira <raulcaldeira@hotmail.com>
Assunto: - AOS ESPECIAIS CUIDADOS DA SENHORA MINISTRA DA JUSTIÇA - !
Para: Ministra <gabinete.ministro@mj.gov.pt>

publicado por CORRUPTOS às 00:34 link do post
16 de Março de 2013


- AOS CUIDADOS DA SENHORA PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ABRANTES - 
 
 
Assunto: QUEIXA 
 
Senhora Presidente:
 
Verifico o excesso de zelo, ao mandar um funcionário a chover de motorizada, entregar avisos de porta em porta, sobre o corte da água - conforme documento em anexo, mas lamento, que a senhora PRESIDENTE, não tenha tido o mesmo zelo, quanto à MERDA, a correr a Céu aberto, do que resulta prejuízo para a saúde publica - o que mais do que errado é criminoso da lei e do direito (crime agravado), tendo-se em conta, as responsabilidades acrescidas, na qualidade de presidente da autarquia.
 
Na qualidade de lesado: residente no bairro fluvial da MERDA, Rua Quinta dos bicos nº. 154 , mando-a para o mesmo SITIO a que a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, MARIA DO CÉU ALBUQUERQUE, me submete todos os dias, contra a minha própria vontade: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/3922.html
 
 A senhora não se encontra acima da lei - vai ter de prestar contas perante a justiça pelos seus actos, espero bem,  que não me voltem a perseguir-atacar a mim e à minha família, não lhe enviei a contestação, por E-mail: http://corruptos.blogs.sapo.pt/1033.html
 
Desejava que lhe fizessem o mesmo, abra os olhos, tenha termos, o que é isso: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/
 
O meu filho no dia  10 de Março deu entrada no hospital de Abrantes, com apenas 18 anos, entrou num estado depressivo - que os médicos mandaram-no de ambulância directamente para os serviços de psiquiatria de Tomar, tenha vergonha na cara -  a senhora é um perigo publico.
 
O presente esta a ser divulgado à escala planetária, o que no mínimo, exige uma reacção imediata, por parte das entidades responsáveis, e a senhora faça jus a seu nome.
 
Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
 
Obs. https://www.facebook.com/tramagalantcorruptos

Artigo 66.º
Ambiente e qualidade de vida

 1. Todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender.



----- Mensagem encaminhada de Raul Caldeira 
   
Data: Wed, 13 Mar 2013 03:31:31 +0000
     De: Raul Caldeira <raulcaldeira@hotmail.com>
Assunto: PEDIDO DE REPARO DE CONDUTA !!
   Para: Maria Do céu <presidencia@cm-abrantes.pt>
     Cc: "mp.abrantes.tc" <mp.abrantes.tc@tribunais.org.pt>, Gnr Geral <gnr@gnr.pt>
publicado por CORRUPTOS às 16:18 link do post
15 de Março de 2013

 

publicado por CORRUPTOS às 15:52 link do post
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
" Portugal deveria estremecer "Ora aqui estão fact...
" Portugal deveria estremecer "Ora aqui estão fact...
blogs SAPO